Cristina Amorim

……………… Economia e Gestão do setor Saúde ………………

Atividade docente

ATIVIDADE DOCENTE

GRADUAÇÃO

Departamento de Economia da Faculdade de Economia e Administração da PUC/SP

Disciplinas

1 – Economia brasileira

1.1 – Crise dos anos 80: origens, políticas de ajuste e resultados. Planos de estabilização: condicionantes e resultados. Reformas econômicas dos anos 90, o contexto internacional, a política econômica e suas conseqüências para o desenvolvimento. Plano Real: pressupostos e resultados. Desafios da política econômica do século XXI e perspectivas econômico-sociais para o País.

BELLUZZO, L.G. ALMEIDA, J.G. Depois da queda – a economia brasileira da crise da dívida aos impasses do Brasil.  Rio: Civilização Brasileira, 2002.
CASTRO, L.B. Esperança, frustração e aprendizado: a história da Nova República – 1985/89. In GIANBIAGI, F. VILLELA, A. (org.) Economia brasileira contemporânea. Rio: Campus, 2005.
CARVALHO, C.E. O plano Collor no debate econômico brasileiro. Pesquisa e Debate. SP: vol. 11 nº 1 (17). 2000.
MODIANO, E. A ópera dos três cruzados. In ABREU, M.P. (org.) A ordem do progresso. Rio: Campus, 1990.
GIANBIAGI, F. Estabilização, reforma e desequilíbrios macroeconômicos: os anos FHC – 1995-2002. In GIAMBIAGI, F. at all. (org.) Economia brasileira contemporânea – 1945/2004. Rio: Campus, 2005.
BARTISTA JR., P. N. O Brasil e a economia internacional – recuperação e defesa da autonomia nacional. Rio: Campus, 2005.
DOWBOR, L. Crise abre espaço para repensar Estado e Desenvolvimento. Disponível na página do autor.
BRESSER PEREIRA, L.C. NAKANO, Y. Crescimento econômico com poupança externa?  Revista de economia política. V. 23, nº2 (90), abril/junho/2003.

1.2 – Analisar o desenvolvimento econômico brasileiro, destacando-se o período da crise dos anos 1960, até a crise da dívida externa no início da década de 1980. Periodização do processo de industrialização brasileiro e trajetória cíclica da economia. Desempenho da política econômica das décadas de 1960 e 1970.

VILLELA, A. Dos “anos dourados” de JK a crise não resolvida (1956/63). In GIAMBIAGI, F. VILLELA, A. (org.) Economia brasileira contemporânea. Rio: Campus, 2005.
ABREU, M. P. Inflação, estagnação e ruptura: 1961/64. In ABREU, M. P. (org.). A ordem do progresso: cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1990.
RESENDE, A. L. Estabilização e reforma: 1964/67. In ABREU, M. P. (org.). A ordem do progresso: cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1990.
HERMANN, J. Reformas, endividamento externo e o “milagre” econômico. In GIAMBIAGI, F. VILLELA, A.Economia brasileira contemporânea. Rio: Campus, 2005.
SINGER, P. I. A crise do milagre. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1983.
CASTRO, A. B. SOUZA, F. E. P. A economia brasileira em marcha forçada. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1985.
HERMANN, J. Auge e declínio do modelo de crescimento com endividamento: o II PND e a crise da dívida externa. In GIAMBIAGI, F. VILLELA, A.Economia brasileira  contemporânea. Rio: Campus, 2005.
CARNEIRO, D. D. Crise e esperança: 1974/80. In ABREU, M. P. (org.). A ordem do progresso: cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1990.
CARNEIRO, D. D. MODIANO, E. Ajuste externo e desequilíbrio interno: 1980/84. In ABREU, M. P. (org.). A ordem do progresso: cem anos de política econômica republicana, 1889-1989. Rio de Janeiro: Campus, 1990.
FRANCO, G. Auge e declínio do inflacionismo no Brasil. . In GIAMBIAGI, F. VILLELA, A.Economia brasileira contemporânea. Rio: Campus, 2005.
OLIVEIRA, F. A economia da dependência imperfeita. 4ª ed. Rio: Graal, 1984

MESTRADO

Programa de Estudos pós-graduados em Administração da PUC/SP

Disciplinas

1 – Poder e liderança nas organizações.

Conceitos de poder. Negatividade e positividade do exercício do poder. Conceitos de liderança. Liderança como uma das formas de poder nas organizações. As contribuições da ciência política para as teorias da liderança. Crítica à despolitização. Liderança e cultura. Liderança e gestão do conhecimento. Ética, poder e liderança nas organizações.
HAYEK, F. O caminho da servidão.4ª ed. Rio: Instituto Liberal, 1987. (prefácios, cap. 2, 3, 7, 9, 10, 13)
BIGNOTO, N. As fronteiras da ética: Maquiavel. In NOVAES, A. (org.) Ética. SP: Cia.das Letras, 1992.
FOUCAULT, M. Microfísica do poder. 11ª ed. Rio: Graal, 1995. (introd., cap. 1, 3, 4, 8, 9, 11, 12, 14, 17)
GRAMSCI. A. Obras Escolhidas. São Paulo: Brasiliense. (introd., artigos iniciados nas pág. 15, 21, 73, 93, 105, 113, 143, 145, 159,.
ROBBINS, S. P. Comportamento Organizacional. SP: Prentice Hall. Cap. 1, 11 e 12.
BERGAMINI. C. W. Liderança – administração do sentido. 3ª tiragem,SP: Atlas, 1994. cap. 2 a 4
KOUZES,J. POSNER, B. P. O desafio da liderança. 3ª ed. Rio: Campus, 2003. (Parte 1 e 7)
KOHN, A. Punidos pelas recompensas – os problemas causados por prêmios… SP: Atlas,1998. parte 1 e 2.
AMORIM, M.C.S. MARTINS,R.H.P. Poder e liderança, as contribuições de Maquiavel, Gramsci, Hayek e Foucault. XXXI ENANPAD. Rio, 2007.
HELOANI, R. Gestão e organização no capitalismo globalizado – história da manipulação psicológica no mundo do trabalho. SP: Atlas, 2003. cap. 11, 14 e 15.
AMORIM, M. C. S. Aprendizagem e conhecimento no mundo do trabalho. In DOWBOR, L. Desafios do trabalho. Petrópolis: Vozes, 2004.
DAMÁSIO, A. Em busca de Espinoza: prazer e dor na ciência dos sentimentos. SP: Cia. das Letras, 2003. (cap. 2, 4 e 7).
KANT, I. Kant. SP: Nova cultural, 1987 – Col. Os Pensadores. Vol. I (Introdução)
——– Crítica da razão prática.
CHAUÍ, M. Política em Spinosa. SP: Cia. das Letras, 2003.

2 – Regulação econômica e estratégias empresariais

Mercados regulados – conceitos e histórico. Ação regulatória estatal e políticas públicas. Aspectos legais da regulamentação econômica. Estratégias organizacionais em mercados regulamentados: schumpeteriana, de inovação, de marketing e de financiamento. Possibilidades de regulação da inovação. Política industrial, políticas sociais e regulamentação econômica.
KUTNER, R. Tudo à venda – as virtudes e os limites do mercado.
FIANI, R. Teoria da Regulação econômica: estado atual e perspectivas futuras. (pdf)
FIANI, R. Afinal, a quais interesses serve a regulação? Economia e Sociedade, Campinas, v. 13, n] 2 (23), 2004 p.81-105.  (pdf)
KUPFER, D. HASENCLEVER, L. (org.), Economia industrial – fundamentos teóricos e práticas no Brasil. Rio: Campus, 2002
NUSDEO. F. A regulação econômica no quadro da desestatização. (conferência) – Congresso da Sociedade de Estudos Jurídicos Brasil-Alemanha. (pdf)
MATTOS, Paulo T. L. O novo Estado regulador no Brasil: eficiência e legitimidade. SP: Singular, 2006.
________________ A formação do Estado regulador. Revista Novos Estudos Cebrap, nov. 2006. (pdf)
POSSAS, M. L. (org.) Ensaios econômicos e direito da concorrência. SP: Singular. (cap. 1 e 5).
FAGUNDES, J. Fundamentos econômicos das políticas de defesa da concorrência – eficiência econômica e distribuição de renda em análises antitruste. SP: Singular, 2003.(cap. IV)
FARINA, E. M. M. Q. AZEVEDO, P. A. SAES, M. S. M. Competitividade: mercado, Estado e organizações. SP: FAPESP / Singular, 1997. (cap. 4)
KUTNER, R. Tudo à venda – as virtudes e os limites do mercado. (cap. 6)
SCHUMPETER, J. Teoria do desenvolvimento econômico. SP: Abril, 1982. (cap. 2)

3 – Inovação e regulação econômica.

Contexto econômico e ambiente competitivo para a inovação. Concentração de mercado, inovação e regulação econômica. Regras e incentivos à competição: aspectos políticos, legais e econômicos da inovação no Brasil. Gestão da inovação nas organizações. Inovação em setores regulados no Brasil – conceitos e análise de setores (os setores serão escolhidos pelos alunos da disciplina).

AMORIM, M. C. S. FREDERICO, R. Criatividade, inovação e controle nas organizações. XXXII ENANPAD. Rio, setembro/ 2008. (pdf)
KUTNER, R. Tudo à venda – as virtudes e os limites do mercado. SP: Cia. das Letras, 1998.
FIANI, R. Teoria da regulação econômica: estado atual e perspectivas futuras. (pdf)
FIANI, R. Afinal, a quais interesses serve a regulação? Economia e Sociedade, Campinas, v. 13, n] 2 (23), 2004 p.81-105.  (pdf)
NUSDEO. F. A regulação econômica no quadro da desestatização. (conferência) – Congresso da Sociedade de Estudos Jurídicos Brasil-Alemanha. (pdf)
MATTOS, Paulo T. L. O novo Estado regulador no Brasil: eficiência e legitimidade. SP: Singular, 2006. (cap. 1 a 4)
________________ A formação do Estado regulador. Revista Novos Estudos Cebrap, nov. 2006. (pdf)
SCHUMPETER, J. Teoria do desenvolvimento econômico. SP: Abril, 1982. (cap. 2)
CAMPOS, A. G. AMORIM, R. L. C. GARCIA, R. C.  (org.) Brasil, o estado de uma nação. DF: IPEA, 2007. (pdf)
DRUCKER, P.  Inovação e espírito empreendedor (entrepreneurship): prática e princípios.São Paulo: Pioneira Thomson,  2002.
MELO, M.A.C. AGOSTINHO, M.C.E. Gestão Adaptativa: uma proposta para o gerenciamento de redes de inovação. RAC, v. 11, n. 2, Abr./Jun. 2007: 93-111 93 (pdf)
VARGAS, E. R. P. ZAWISLAK A.  Inovaçăo em serviços no paradigma da economia do aprendizado: a pertinência de uma dimensão espacial na abordagem dos sistemas deiInovação. RAC, v. 10, n. 1, Jan./Mar. 2006: 139-159 (pdf)
Paulo Tromboni de Souza Nascimento. Abraham Sin Oih Yu. Maria Cecília Sobral.
As orientações estratégicas da inovação produtos populares. RAC, Curitiba, v. 12, n. 4, p. 907-930, Out./Dez. 2008. (pdf)
ABREU, A. F. CORAL, E. Gestão integrada da inovação – estratégia, e organização e desenvolvimento de produto. SP: Atlas, 2008.
Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: